20 de novembro de 2010

Blogs educacionais e a "nuvem"

Fui dar uma olhada nas estatísticas de acesso deste blog, o que eu faço muito ocasionalmente, e levei um susto porque dos dias 14 a 18 de novembro houve um salto absurdo na quantidade de acessos, dez vezes mais do que a média.

Descobri que a origem foi esta "convocação" do blog English Experts aos blogs educacionais. Meu blog está na lista dos convocados, mas ninguém me informou disso e poderia muito bem nem ter ficado sabendo.

("Está vendo", diria meu Grilo Falante, "como foi importante, após tantas semanas trabalhando sete dias por semana, tirar um dia para descansar e navegar um pouco? Trabalhando sem parar você mal vê o mundo lá fora!")

Mas voltando: a excelente convocação do Alessandro veio a calhar, pois esta semana mesmo eu estive discutindo com colegas - tradutores e professores - sobre a importância do networking virtual para os profissionais autônomos. Mas, se é importante para todo mundo, para os estudantes e iniciantes é realmente imprescindível.

Quando eu terminei a faculdade, há uns (aham...) 14 anos, usei de todos os recursos disponíveis na época para fazer e manter contato com colegas e profissionais. Criei meu primeiro site em 1997, escrevendo direto em HTML no Notepad. As primeiras redes de contato de tradutores profissionais aconteciam por e-mail, com a Trad-Prt (criada em 1998) e depois outras listas de discussão. O ProZ é de 1999 e foi um grande avanço pela proposta e pela tecnologia utilizada para promover o intercâmbio entre profissionais e clientes.

Eu comecei a trabalhar ainda na faculdade, por indicação de professores, às vezes para outros departamentos da universidade. Uma coisa foi puxando outra, eu sempre corri atrás de contatos e já nem sei como acabei traduzindo um livro muito bacana para uma editora de peso quando estava formada ainda há poucos meses. Sempre adorei tudo o que pudesse ser feito em computador e já na faculdade não desgrudava do Palm, que tenho até hoje (confesso que mais por razões afetivas do que qualquer motivo mais prático...)

Em 2001 abri minha empresa, comprei o domínio e sempre mantive o site. Comecei a blogar pouco depois (um blog pessoal já extinto) e iniciei este aqui em 2006. A essa altura já havia vários outros blogs, Orkut, uma multidão de opções. Aliás, a melhor comunidade de tradutores do Orkut continua firme e forte, reunindo vários dos melhores profissionais de tradução e interpretação e integrando e ajudando iniciantes.

Hoje em dia é preciso muita disciplina para não se perder em meio a tanto Twitter, Facebook, Orkut, LinkedIn, etc. E blogs. Blogs e mais blogs. E gente, como tem blog bom! Bonitos, bem produzidos, bem escritos, informativos. E pensar que começou meio na linha de "querido diário". Aliás, o Twitter também, mas hoje quem não sabe aproveitar as coisas incríveis que as mensagens em 140 caracteres podem fazer por você está perdendo - muito mais do que imagina.

São informações que não acabam mais, criadas constantemente. Entrada de blog é bem mais duradoura do que tuíte, mas os blogs também nascem e morrem, se reciclam, mudam de lugar. É difícil acompanhar tudo.

O universo da internet é absolutamente imenso. É como esses filmes sobre o Big Bang que a gente vê em planetário: ele expande, expande, expande... galáxias geram mais galáxias e mais galáxias. Virou uma nuvem, mesmo. Uma nuvem cósmica, com planetas, satélites e meteoros.

Há alguns anos que eu praticamente moro nessa nuvem. Resido a uns 8.000 km de distância de onde tenho minha empresa. A comunicação por voz é via Skype em todas as suas variações - muitos clientes ligam para meu número no Rio e nem imaginam onde é que eu estou. Os orçamentos são por e-mail, os serviços são em diversos formatos de arquivos. Bendito FTP sem limite de tamanho para trabalhar com filmes, tranferindo conteúdos inteiros de DVDs para legendar. Dou muitos cursos online também, para gente espalhada pelo mundo todo. Conheci a Bianca Bold, minha sócia, pelo Orkut, e por total coincidência hoje moramos na mesma cidade. Meu irmão Diego Alfaro, outro sócio, há vários anos mora na Europa e também presta serviços principalmente para clientes no Brasil. As notas fiscais são eletrônicas, os depósitos são feitos quase sempre pela internet, eu passo no banco todo dia usando "online banking" (felizmente o dinheiro que sai do caixa automático ainda é de carne e osso!)

E eu nunca tive tantos, tantos colegas. A internet tem esse poder de eliminar um monte de barreiras sociais. Você se comunica tanto com seus ídolos quanto com seus alunos, e na verdade esse tipo de rótulo importa cada vez menos.

Muitos clientes e amigos eu nunca vi. Outros eu vi, mas pouco comparado com o quanto nos comunicamos pela internet. Outros eu conheci primeiro pela internet e só depois em pessoa. Qual é a diferença entre virtual e real, mesmo? Eu confesso que já não sei bem.

Hoje em dia, independentemente da nossa procedência, de quantos amigos temos e de onde estudamos, uma coisa é certa: a maior parte dos conhecimentos que obtemos e da comunicação que mantemos é online. Pense em quanto do que você sabe hoje foi aprendido lendo diretamente de uma publicação em papel ou ouvindo da boca de uma pessoa, e quanto foi aprendido navegando? Eu adoro a experiência da sala de aula presencial, adoro a universidade, que considero importantíssima, mas em termos numéricos um professor diz algo para 25 pessoas durante duas horas e, nesse tempo, dezenas de milhares de pessoas leram informações como essas, e muitas outras, em artigos de blogs.

A educação é algo contínuo, e na internet é possível se educar muitas vezes mais do que em qualquer ambiente offline. Além disso, a "nuvem" novamente funde uma série de conceitos: você aprende enquanto se comunica, interage, faz contato. Contato gera feedback, gera parceria, gera amizade, gera trabalho. Uma série de degraus como o de primeiro aprender, depois fazer testes e estágios, depois ser profissional, vira uma rampa contínua.

E, no universo da tradução, há ainda aquela maravilhosa e fértil promiscuidade de contatos, em que seu aluno vira seu cliente, seu cliente vira seu sócio, seu sócio vira seu professor, às vezes tudo ao mesmo tempo. No ano passado, por exemplo, eu passei várias semanas me comunicando com a mesma pessoa, que ora era a editora para a qual eu estava traduzindo um livro, ora era minha aluna de teorias de tradução em um curso online. Mas tudo bem separadinho, nossas "identidades" não se confundiam em momento algum. O mesmo ocorre quando um ex-aluno vira amigo do tipo que troca receitas de cozinha, mas aí você passa um serviço para ele e o tratamento passa a ser profissional.

Quem está procurando entrar hoje no mercado de tradução, seja saindo de uma faculdade ou curso, ou vindo de outra profissão, deve o mais depressa possível se integrar a essa vida na "nuvem". As relações de trabalho antes eram mais verticais: a gente batia na porta (real ou metafórica) do cliente, ou ele nos procurava com uma proposta. E também aluno era aluno, professor era professor. Tudo muito hierárquico. Mas na nuvem, essa nuvem cósmica com mil conexões, como as sinapses do cérebro, tudo corre em mil direções. Um comentário no Facebook, um tuíte, uma visita a um blog, pode render um emprego. E amanhã mesmo, quem hoje estava procurando trabalho encaminha o pedido de um colega que precisa de ajuda e pronto, se torna o responsável por dar uma oportunidade de trabalho a outra pessoa. E tudo isso acontece muito, muito rápido. Progressos que levavam semanas e meses para acontecer hoje levam horas, minutos.

Essa integração beneficia a todos: quem comenta, quem repassa, quem dialoga é visto, ao mesmo tempo que dá visibilidade a seus interlocutores. Um blog ensina muita coisa, mas para continuar vivendo precisa receber opiniões, sugestões, precisa ser lido. E também é fundamental vincular blog com site, com Twitter, com Facebook, com e-mail, etc. Para existir na nuvem é preciso ser visto. Para ser visto, é preciso que seu site seja encontrado. E como ele é encontrado? Através de recomendações.

Aprendeu alguma coisa em um blog? Diga isso lá no Facebook.
Leu um comentário bacana? Comente também.
Recebeu uma dica legal? Retuíte.

Acredite, você mesmo tem muito mais a ganhar com isso do que imagina. Pois, ao dizer que os outros existem, automaticamente você existe também. Ao dizer "Eu vi", você é visto. E as oportunidades podem pintar de qualquer lugar.

Por isso achei tão legal essa campanha lançada pelo English Experts. Aumentando e intensificando as conexões entre blogs educacionais, as sinapses da nuvem se fortalecem e todos têm a ganhar com esse intercâmbio.

O próprio English Experts listou muitos blogs educacionais interessantes na convocação. Reforço aqui alguns e indico outros:
  • O Tecla Sap é espetacular, uma grande referência. O Ulisses Wehby de Carvalho é muito fera.
  • O Tradutor Profissional, do Danilo Nogueira (com a Kelli Semolini), também virou referência para os tradutores, sobretudo os iniciantes.
  • Fidus Interpres, excelente blog do Fabio Said.
  • Petê Rissatti fala sobre literatura e tradução, e conversa com tradutores.
  • O Tradução Via Val trata de tecnologia.
  • O TradCast é o primeiro podcast brasileiro sobre tradução, e é ótimo!
  • PriBi, sobre tradução e tecnologia, de Pricila e Fabiano Franz.
  • Adir Ferreira, sobre idiomas.
  • De Scripta, língua e tradução em espanhol, do Pablo Cardellino Soto.
  • El Heraldo de la Traducción, também em espanhol, mas de outro tradutor residente no Brasil, o Víctor Gonzalez.
  • Ao Principiante de tradução, pela Lorena Leandro.
  • i4B, sobre internet e tecnologias da informação, do meu fabuloso consultor para assuntos cibernéticos Roney Belhassof
E tem muitos outros, vários listados no menu à direita, mais embaixo. E, naturalmente, se você tiver alguma outra boa indicação de blog educacional bacana, comente aqui que eu acrescento (e também tuíte, inclua link, comente no Facebook... você já entendeu a ideia!)

13 comentários:

Pricila Reis Franz disse...

Excelente seu post, Carol, e obrigada pela indicação do PriBi.com.br. O networking pela rede é ponto crucial da nossa profissão. Quem ainda não entendeu isso está fadado ao fracasso. ;)

Val disse...

Excelente, Carol!
Há anos "viver" na internet deixou de ser coisa de ficção científica. E obrigada pela indicação do meu site. Vou aproveitar e complementar com umas coisinhas lá. Beijo!

Gяαzι-єℓα disse...

Vlw hein!Até agora só conhecia os dois primeiros links que aliás são ótimos! Já vou acessar os outros! XD
Tem um blog que eu também super indico, é o "Inglês na Ponta da Língua" com o Denilso de Lima. XD

Petê Rissatti disse...

Muito bom, Carol. Contato é fundamental e não há meio de contato mais rápido e eficiente hoje que a internet para nós, tradutores. E a quantidade de informação que é possível obter nesses contatos é preciosa.

Abração!

monica2008 disse...

Olá Carolina.
Amei o seu blog...não conhecia...
Vou visitá-lo mais vezes, pois a arte da tradução me interessa muito.
Há um tempinho traduzo textos técnicos (da área de medicina e medicina veterinária), mas ainda não fiz um curso específico. Na faculdade de Letras (PUC-GO) só vi Introdução à Tradução, mas como os professores sabiam que eu traduzia, indicaram livros, sites e assim por diante. O meu desejo é especializar mesmo na área.
Olha, eu tenho profile no ORKUT, no FACEBOOK...posso te adicionar lá? O meu ORKUT é "Monica...2010...O ano...", no FACEBOOK é "Monica Carneiro"...
se puder adicioná-la, agredeço.
Um abraço

Lorena Leandro disse...

Carol, incrível como você geralmente escreve o que eu adoraria dizer! Outro dia mesmo estava comentando com meu marido que descobri um mundo maravilhoso na internet e que estou aprendendo, aos poucos, a usar a meu favor todas as (inúmeras) ferramentas disponíveis por aí. E cada dia é uma descoberta, um aprendizado e, nesse ponto, os blogs de colegas ajudam imensamente. Muito obrigada pela indicação (aliás, um tempo atrás indiquei seu blog também). Maravilha ver a expansão do que era, antes, um pequeno universo tradutório :)

Maria Eugenia disse...

Oi Carol

Posso acrescentar mais um à lista? Escrevo sobre interpretação no Palavra de intérprete, um blogue sem botão de tosse. Deixo o convite para uma visita aos seus leitores.
Abraços

ME

AulaNaHora disse...

Olá, meu nome é Luciana e eu faço parte do site AulaNaHora e nós mesmo não tendo sido convidados participamos desse manifesto organizado pelo Alessandro se você quiser conhecer o site fique a vontade, e gostaria também que você me passasse seu email para eu entrar em contato com você! Obrigada,
http://blog.aulanahora.com.br/

Carol disse...

Obrigada pelos comentários, pessoal.

Estou correndo bastante esta semana, mas depois adiciono os outros dois blogs sugeridos.

E claro, podem me adicionar no Twitter, Facebook, Orkut, onde for. É fácil me achar!
:-)

marinices disse...

Olá, eu sempre entro no seu blog pra saber as novidades e estou ansiosa pelo curso de legendagem :)
Dias atrás achei esse site

http://www.elance.com/p/landing/buyerE2.html

ainda não sei se é bom, estou fazendo o meu perfil, mas parece bastante profissional. É algo como Linkedin, porém é mais voltado para profissionais que trabalham com o computador. Fica a dica pra quem quiser conhecer :)

Abraços, continue com o blog que é muito bom ;)

Marina

nuestras estorias disse...

Carol, maravilhoso!! Mta informação assim ao vento elétrico dos bits. A gente acha que tem que ser ninja pra ser tão internauta, não é para tanto. Basta estar ligada, bem atenta e sempre às ordens. Comos empre, mto obrigada pelas suas dicas fenomenais. Adicionei alguns dos blogs citados aos meus favoritos. Pra deliciar com calma e consultar com frequência. um bjo, sua aluna Carol Machado

Luiz Fernando Doin disse...

Carol,

Gostaria de sugerir o meu blog, Tradução no Divã - http://www.empresadetraducao.net.br/blog-de-traducao - que é relativamente novo e traz meus pontos de vista como proprietário de uma empresa de tradução.

Um abraço,

Luiz Fernando
BTS Traduções

Danyellen disse...

Ótimo post, Carol!
Frequento vários blogs e raramente comento, o que me faz perder oportunidades de expor a minha opinião.
Obrigada pelas dicas =)
Abraços